Rico e bem sucedido, Will (Sam Claflin) leva uma vida repleta de conquistas, viagens e esportes radicais até ser atingido por uma moto, ao atravessar a rua em um dia chuvoso. O acidente o torna tetraplégico, obrigando-o a permanecer em uma cadeira de rodas. A situação o torna depressivo e extremamente cínico, para a preocupação de seus pais (Janet McTeer e Charles Dance). É neste contexto que Louisa Clark (Emilia Clarke) é contratada para cuidar de Will. De origem modesta, com dificuldades financeiras e sem grandes aspirações na vida, ela faz o possível para melhorar o estado de espírito de Will e, aos poucos, acaba se envolvendo com ele.











Uma das adaptações mais esperadas pelos leitores de plantão. A história emocionante de Lou e Will, tocou nossos corações e virou filme. 

Eu assisti ao filme na sexta-feira (dia 10) em uma das sessões de pré-estreia, já que a data oficial é dia 16. Eu gostei muito da escolha dos atores, Emilia Clarke - sempre será a mãe dos dragões em Game Of Thrones -, já o Sam Clafin, eu conheci por outra adaptação que ele fez, o também romântico Love, Rosie (Simplesmente Acontece).


Desde o primeiro trailer era possível ver que a escolha dos atores tinha agradado os leitores, e logo nos primeiros minutos vieram as primeiras lágrimas. A escolha de Photograph do Ed Sheeran veio a calhar. Aquela quebra de diálogo e o começo da música foram o suficiente para me fazer chorar. 




Como Eu Era Antes de Você tem tudo para ser um daqueles romances que vão passar para caramba na TV, como, Diário de Uma Paixão é hoje em dia. O filme já tem mais de 10 anos e ainda é muito lembrado.

Sobre as atuações, posso dizer que a atuação de Emilia se destacou, vendo os primeiros trailers tinha achado a Lou muito mais afetada, bobinha demais, mas vi que no filme foi necessário. Ela deu o equilíbrio que precisaria nas partes finais. O Sam também não foi o Will que eu imaginei, mas ele tem carisma e a química com a Emilia realmente fez a total diferença.

As partes cômicas foram importantes para depois virem as lágrimas. Esse foi o equilíbrio que eu falei ali em cima. 

Adaptações sempre me deixam um pouco frustrada, pois é claro, NUNCA será totalmente fiel ao livro. Jojo Moyes, autora do livro, foi roteirista do filme e mesmo assim acredito que pecou em algumas cenas importantes que ficaram de fora. Os pais de Will, por exemplo, apareceram muito pouco.

Jojo Moyers repete a fórmula de muitos outros autores. Nos ensina uma bonita lição e o final - Graça a Deus - esse sim é fiel ao livro. Ah, e não passou despercebido por mim foi que achei o Will do filme mais apaixonante do que o do livro. A minha impressão ao ler o livro é que a Lou amou o Will, mas que o Will sentia por ele era uma amizade e uma imensa gratidão. Mas como precisamos vender romance em Hollywood, a história foi vendida como. Mas nisso eles acertaram. Mesmo antes do final eu consegui ouvir várias pessoas fungando.

E única coisa que me incomodou de verdade, foi Photograph não ter tocado na parte chave do filme. Tenho certeza que eu teria chorado mais se tivesse tocado.


Vou dar 5 corações porque vale a pena assistir, vai ser um romance que vai ficar nos nossos corações!



Deixe um comentário