Todas as manhãs Rachel pega o trem das 8h04 de Ashbury para Londres. O arrastartrepidante pelos trilhos faz parte de sua rotina. O percurso, que ela conhece de cor, é um hipnotizante passeio de galpões, caixas d’água, pontes e aconchegantes casas. Em determinado trecho, o trem para no sinal vermelho. E é de lá que Rachel observa diariamente a casa de número 15. Obcecada com seus belos habitantes - a quem chama de Jess e Janson -, Rachel é capaz de descrever o que imagina ser a vida perfeita do jovem casal. Até testemunhar uma cena chocante, segundos antes de o trem dar um solavanco e seguir viagem. Poucos dias depois, ela descobre que Jess - na verdade Megan - está desaparecida. Sem conseguir se manter alheia à situação, ela vai à polícia e conta o que viu. E acaba não só participando diretamente do desenrolar dos acontecimentos, mas também da vida de todos os envolvidos.









Informações:

Editora: Record
Autora: Paula Hawkins
Páginas: 378
ISNB: 978-85-0110-465-6


RESENHA

Confesso que fiquei decepcionada com o livro, eles vendem tãão bem a ideia que você "cai" que a história é magnífica. Na capa, eles até citam que se você gostou de "Garota Exemplar", vai gostar do livro. É mentira, gente. HAHAHA Não caiam nessa como eu, e vou explicar o porquê.

Narrado em primeira pessoa, o livro é pelo ponto de vista de três personagens: Rachel - a protagonista -, Megan e Anna. Os primeiros capítulos te introduzem a vida de pacata de Rachel, que foi traída e abandonada pelo marido e para "compensar" a perda e a vida miserável que leva, ela bebe para esquecer. Anna é a atual mulher de Tom. E Megan, é a tal mulher que Rachel observa todas as manhãs quando passa pela estação.

Todos os dias, Rachel pega o trem que vai de Ashbury até Londres e sempre um casal na varanda de casa. Ela os chama de Jason e Jesse e cria na sua cabeça a família perfeita. Só que tudo vai por água abaixo quando ela presencia uma cena que vai mudar o rumo da história e ela vê que oi casal não é tão perfeito quanto ela acha. 

No dia seguinte, ela acaba sabendo pelos jornais que Jess - que ela descobre que se chama Megan -, está desaparecida e ela acha que pode ajudar contando o que viu no dia anterior. O problema é que Rachel não é uma testemunha acreditável, já que ela bebe e nunca se lembra das coisas que aconteceram. 

O livro em si não é ruim, a premissa é boa, só enrola bastante ao ser desenvolvida. O livro tem 378 páginas, acredito que se tivesse cem páginas a menos ele teria a mesma conclusão mas sem enrolar tanto. O que me frustrou foi que descobri o tal "mistério" do livro em poucas páginas, a autora nesse ponto não surpreendeu. Eu, sou leitora de Ágatha Christie, Sidney Sheldon e Harlan Coben, é até sem graça achar que eu não vou matar a charada logo. 

O livro vai ser adaptado para o cinema, Emily Blunt será a personagem principal, acho que no formato cinematográfico a história vai funcionar melhor. Vamos aguardar!



2 Comentários

  1. Também não gostei muito do livro SHDUIAHDAUI Na verdade eu li ele bem rápido e não achei ruim, mas Sidney Sheldon e Agatha Christie estão anos luz. Matei a charada antes do tempo também, não gostei da protagonista e me incomodou um detalhe que eu achei bem machista (spoilers a partir de agora): o Tom foi machista, era o vilão do livro, todos criticam (com razão) ele. Agora o Scott prendeu a Rachel uma hora, bateu nela, mas fica tudo bem porque ele "estava descontrolado" e no final se não me engano a Rach até fala que ia visitar ele! Como assim?

    Beijos, Vickawaii
    http://finding-neverland.zip.net

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, notei esse furo aí também. kkkk

      Achei que o livro enrolou bastante. E como leitora do gênero, ela não soube explorar isso bem e matei a charada antes do tempo. Uma pena.

      Acho que como filme vai funcionar melhor. #OREMOS

      Beijooos;**

      Excluir