1 – Como foi o processo criativo para escrever Lilac ?
D: Lilac foi diferente de todas as minhas outras obras. A ideia me possuiu totalmente. Após a inspiração, eu abri o Word e, praticamente, não saí mais da frente do notebook durante dois meses. Como estava me recuperando de uma cirurgia, tinha o dia todo para me dedicar somente a escrever e foi o que fiz. Parando apenas para dormir (um pouco) e comer algo quando me lembrava rs.
2 – Teve algum personagem inspirado em alguém real ? Tipo o Craft. Risos
D: Os personagens principais são todos inspirados na minha família e amigos mais próximos. A Helen é minha homenagem pra minha irmã mais nova, Déborah. Craft tem muito da personalidade do meu marido e o Delion foi inspirado no meu irmão, Rodrigo. A Meg é uma das minhas favoritas também porque coloquei nela as qualidades das mulheres mais fortes e vencedoras que fazem parte da minha vida.
3- Alguns autores comentam que a inspiração para a história veio de um sonho, um filme ou uma música. Lilac teve alguma inspiração dessas?
D: Em uma noite, estava assistindo ao filme O Pacto quando a ideia surgiu. Pensei em escrever sobre feiticeiros lutando contra demônios, em um ambiente sexy e sombrio. Dois meses depois, Lilac estava pronto! Música também me inspira bastante, principalmente Iron Maiden e Evanescence (que são como água e óleo rs, mas eu sou eclética ).



4- Se você tivesse que eleger uma trilha sonora para Lilac,  qual seria?
D: Em uma única música? Seria Tears of the Dragon, do Bruce Dickinson.
5 -Sempre que eu leio resenhas eu procuro ler os comentários também.  Nas resenhas de Lilac algumas poucas pessoas reclamavam das cenas de sexo constantes que o livro tem. O que você acha das críticas? Você diminuiu essas cenas em Silver ou manteve o mesmo ritmo?
D: Críticas são fundamentais para qualquer profissional crescer, principalmente artistas. Por isso eu analiso com carinho todos os feedbacks que recebo e procuro lapidar meu trabalho com eles.
Em Silver a frequência de cenas de sexo diminuiu pois a história pedia mais ação do que luxúria, e também por que meu estilo estava um pouco diferente, menos influenciado pelas minhas autoras preferidas (algo que tive que trabalhar duro para fazer). Mas Darkness será mais parecido com Lilac.
6- Silver já tem data de lançamento ?
D: Não oficial, mas a previsão é que a pré-venda comece no dia 01/12 ainda deste anos.
7- A reedição de Lilac, vai sair pela novo século?
D: Não, será feita pela Editora Literata, assim como o lançamento de todos os outros títulos da série.
8-  Falando um pouco da situação dos autores aqui no Brasil. Eu vejo muitos autores novos reclamando que lançar um livro é difícil. Que as editoras aqui cobram preços abusivos para fazer esses lançamentos e muitas vezes o autor acaba não tendo esse retorno depois. A realidade é que as editoras aqui pagam para lançar livros estrangeiros. Mas para lançar os livros nacionais o autor tem que pagar. O que você acha disso? E se você sentiu um pouco disso ao lançar Lilac.
D: Eu senti TUDO disso com Lilac. Infelizmente essa é a realidade do mercado editorial brasileiro. Enquanto na maioria dos outros países os autores têm os direitos comprados por um bom valor, recebem mensalmente a porcentagem em cima dos preços de capas, ganham marketing, editores de verdade e todo o cuidado que um artista precisa para criar… No Brasil temos que pagar para trabalhar e nos darmos por satisfeitos por alguém ter tido a “generosidade” de nos lançar, mesmo que estejamos pagando em média 20 mil por isso.
Os absurdos são tantos que levaria bem mais que um post para começar a falar sobre o assunto…
O autor que quiser fazer sucesso no Brasil tem que contar com a sorte para ser um dos escolhidos (entre centenas) pelas editoras para receber atenção especial (para que assim elas mostrem que se importam SIM conosco) ou conseguir publicar seu livro primeiro em algum outro país. Aí sim, depois de conseguir reconhecimento lá fora, as editoras irão se pisotear para comprar os direitos desse autor.
9- Deise, muito obrigada por responder minhas perguntas. Deixa um recado para os leitores de Lilac.
D: Obrigada por serem o melhor público que um escritor poderia ter! Vocês me dão tanta força que chega a ser fácil esquecer as dificuldades que os escritores nacionais enfrentam. Cada recadinho que recebo fica guardado no coração. Farei o meu melhor para nunca decepcioná-los!

* Essa entrevista que eu fiz e foi postado originalmente no blog La Joujou


Deixe um comentário